14 setembro 2006

A queda de um anjo



Aparentemente nem a música dos Delfins conseguiu fazer tanto mal à fama dos anjos deste e de qualquer plano existencial do que a série "Anjinho da Guarda" criada por mim e pelo Miguel Braga.

Criada em 2004 com produção executiva da ETIC e SIC Radical, "Anjinho da Guarda" seria a série com mais sangue, vísceras e piadas de mau gosto da televisão portuguesa, isto claro se excluirmos a famosa novela dos anos 80 em que o Caniço cortou o coiso...

Apesar do seu caracter experimental e falta de apoio das entidades instaladas no campo da animação Portuguesa, o Anjinho da Guarda provou que é possível fazer este tipo de produções por cá...o que até deixaria certos produtores irritados pelo pressuposto "barato" com que se fez a coisa.

Vejam ou revejam todos os episódios e as várias facetas da produção da série aqui e não se esqueçam de convidar as crianças e os avózinhos.

3 comentários:

El Gordo disse...

Numa palavra: Série de culto!

Keep fighting!...

ND disse...

Se com isso te referes ao facto de ter pago peanuts e ter sido vista por meia duzia de gatos pingados, então sim... foi de culto ;)

Obrigado pela força. Quanto a notícias continuamos a tentar fazer uma edição DVD, que pode ganhar agora um segundo fôlego dado ao relativo sucesso que a edição de "Happy Tree Friends" está a ter no mercado

El Gordo disse...

De que é feita uma série de culto? Por vezes, de um episódio piloto e mais dois ou três que passam às cinco da manhã num canal codificado. O Anjinho da Guarda marcou o seu lugar. Como eu, certamente que muitas pessoas viram e voltarão a ver. Toda a gente sabe como é difícil produzir algo em Portugal. Por isso o público, pelo menos o da nossa geração, está mais atento a qualquer fagulha de criatividade. Tivesse o Anjinho a vida virtual dos Happy Tree Friends e muito provavelmente tornar-se-ia também num ícone internacional-underground.